Na hora certa! O calendário da profecia é revelado.
 

Apertem os cintos! Você está indo agora para explorar a profecia de mais longa duração existente na Bíblia - uma profecia que previu perfeitamente a primeira vinda de Jesus e o tempo de sua morte. No Guia de Estudo 16, "Mensagens Angelicais do Espaço Sideral", você aprendeu que Deus tem uma mensagem extremamente importante que mundo deve ouvir antes do retorno de Cristo! A primeira ordem dada as pessoas é para adorar a Deus e glorificá-Lo, porque a hora do seu juízo chegou (Apocalipse 14:7). Em Daniel 8 e 9, Deus revela a data que o  julgamento final ira começar e apresenta poderosas evidencias que comprovam ser Cristo o Messias. Assim, nenhuma profecia em toda a Escritura é mais vital e poucas pessoas estão conscientes disso! Outros a interpretam completamente de maneira errada. Por favor, leia Daniel capítulos 8 e 9 antes de iniciar este Guia de Estudo, e peça a Deus com seu Espírito para guiá-lo na compreensão desta lição fenomenal.

1. Em visão, Daniel viu um carneiro de dois chifres que dava pancadas com a cabeçada para o oeste, norte e sul e conquistando cada animal que ele encontrou (Daniel 8:3, 4). O que esse carneiro simboliza?

"O carneiro que viste com dois chifres são os reis da Média e da Pérsia". Daniel 8:20.

Resposta: O carneiro é um símbolo do reino mundial da Medo-Pérsia, que também foi representada pelo urso de Daniel 7:5. As profecias dos livros bíblicos de Daniel e Apocalipse seguem o princípio de se "repetir e expandir", o que significa que eles repetem as profecias cobertas em capítulos anteriores do livro e ampliam a compreensão delas. Esta abordagem traz clareza e segurança para as profecias da Bíblia.

2. Que animal impressionante que vem Daniel ver?

"Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei.O ter sido quebrado, levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reinos se levantarão da mesma nação, porém não com a força dele. ". Daniel 8:21, 22.

Resposta: Ao avançarmos na visão de Daniel, um bode com um chifre enorme aparece de repente, viajando a grande velocidade. Ele atacou e conquistou o carneiro. Então o seu grande chifre foi quebrado e quatro chifres surgiram em seu lugar. O bode peludo simbolizava o terceiro imperio mundial, da Grécia, e o seu grande chifre simbolizava Alexandre, o Grande. Os quatro chifres que  substituiram o grande chifre representam os quatro reinos em que o império de Alexandre foi dividido. Em Daniel 7:6, estes quatro reinos são representados pelas quatro cabeças do leopardo com quatro asas, que também simboliza a Grécia. Estes símbolos são tão corretos que é fácil identificá-los na história.

3. De acordo com Daniel 8:08, 9, de um dos quatro chifres surgil um chifre pequeno. O que faz o chifre pequeno e o que representa?

Resposta: O chifre pequeno representa Roma. Alguns têm sugerido que o chifre pequeno representa Antíoco Epifânio, um rei selêucida que governou sobre a Palestina no século II aC e que interrompeu os serviços de culto judaico. Outros, incluindo a maioria dos líderes da Reforma, tem acreditado que o chifre pequeno representa Roma em ambas as formas, pagã e papal. Vamos examinar as evidências da Bíblia para esclarecer isso.

A. Em harmonia com a regra profética de "repetir e expandir," Roma deve ser o poder representado aqui, porque ambos os capítulos 2 e 7  de Daniel, Roma surge como reino que vem logo após o reino da Grécia. Daniel 7:24-27 estabelece também o fato de que Roma, em sua forma papal, será sucedida pelo reino de Cristo. O chifre pequeno de Daniel, capítulo 8, se encaixa exatamente nesse padrão: Segue-se a Grécia e é finalmente destruído de forma sobrenatural ou "quebrado sem mão" na segunda vinda de Jesus. (Compare com Daniel 8:25 a Daniel 2:34).

B. Daniel no capítulo 8 diz que o imperio medo-persa se tornaria "grande" (v. 4), o imperio grego "muito grande" (verso 8), e do poder do chifre pequeno "muito grande" (v. 9). A história é clara em afirmar que nunhem outro imperio que veio após a Grecia tornou-se "muito grande" que não Roma.

C. Roma estendeu seu poder ao (Egito) ao sul, o leste (Macedónia), e a "terra formosa" (Palestina), exatamente como a profecia previu (v. 9). Qual a grande  potência que se encaixa neste verso a não ser Roma?

D. Somente Roma levantou-se contra Jesus, "o príncipe do exército" (versículo 11) e "Príncipe dos príncipes" (v. 25). Roma pagã o cricificou. Também destruíu o templo de Jerusalem. Roma papal efetivamente derrubou o santuário celestial (versículo 11) e o pisou (versículo 13), substituindo o ministério essencial de Jesus, nosso Sumo Sacerdote no céu, com um sacerdócio terreno que reivindica o direito de perdoar pecados. Ninguém, mas Deus pode perdoar pecados (Lucas 5:21). E Jesus é o nosso único Sacerdote ou Mediador (1 Timóteo 2:5).

4. Daniel 8  nos informa que este poder do chifre pequeno também iria  destruir o do povo de Deus (versículos 10, 24, 25) e lançar a verdade por terra (versículo 12). Quando um santo perguntou quanto tempo o povo de Deus e santuário celestial seria pisado, qual foi a resposta de Deus?

"Ele me respondeu: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado." Daniel 8:14.

Resposta: A resposta de Deus era que o santuário celestial seria purificado depois de 2.300 dias proféticos, ou 2300 anos literal. (Guia de Estudo 15 dá uma explicação completa sobre dia e anos profeticos encontrado em Ezequiel 4:6 e Números 14:34.) Nós já aprendemos que a purificação do santuário terrestre teve lugar no dia da expiação no antigo Israel.

Nesse dia o povo de Deus foi claramente identificados como Sua propriedade, e o registro de seus pecados foi removido do céu. Os ímpios que se agarraram aos seus pecados foram cortados para sempre de Israel. Assim, o acampamento foi purificado do pecado.

O céu estava assim garantindo a Daniel que o pecado e o poder do chifre pequeno não iria continuar a prosperar, controlar o mundo e perseguir o povo de Deus eternamente. Em vez disso, no final de 2.300 anos, Deus iria intervir com o dia da expiação celestial, ou julgamento, onde o pecado e os pecadores seriam identificados e posteriormente removidos do universo para sempre. Assim, o universo seria purificado do pecado. As injustiças contra o povo de Deus finalmente seriam corrigidas,  a paz e a harmonia do Éden iriam mais uma vez encher o universo.

5. Que ponto importante o anjo Gabriel repetiu varias vezes para que entendessemos?

“Filho do homem, porque esta visão acontecerá no fim do tempo.” “Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira.” “Tu, porém, cerra a visão, porque se refere a dias muito distantes." Daniel 8:17, 19, 26, grifo do autor.

Resposta:Gabriel repetidamente afirma que a visão 2.300 dias envolve eventos no fim dos tempos, que começou em 1798, como aprendemos no Guia de Estudo n. 15. O anjo queria que nós compreendessemos que a profecia 2300 dias é uma mensagem que se aplica principalmente para todos nós que estamos vivendo no tempo do fim da história da Terra. Ela tem um significado especial para hoje.

 
 

Introdução ao Daniel capítulo 9

Depois da visão de Daniel no capítulo 8, o anjo Gabriel veio e começou a explicar a visão para ele. Quando Gabriel chegou ao ponto dos 2.300 dias, Daniel entrou em colapso e ficou doente por algum tempo. Ele recuperou a sua força e voltou a cuidar dos negócios do rei, mais estava muito preocupado com a parte inexplicável da visão dos 2.300 dias. Daniel orou fervorosamente por seu povo, os judeus, que estavam cativos na Medo-Pérsia. Ele confessou seus pecados e pediu a Deus para perdoar o seu povo. Daniel capítulo 9 começa com oração fervorosa do profeta de confissão e apeloa Deus.

Por favor, dedique algum tempo para ler Daniel 9 antes de prosseguir com este Guia de Estudo.

6. Enquanto Daniel estava orando, quem derrepente o tocou e qual mensagem trazia(Daniel 9:21-23)?

Resposta: O anjo Gabriel tocou-o e afirmou que ele tinha vindo para explicar o resto da visão descrita em Daniel, capítulo 8 (compare com Daniel 8:26 Daniel 9:23).

7. Quanto dos 2.300 dias seria dado ao povo de Daniel, os judeus, e a sua capital, Jerusalém (Daniel 9:24)?

Resposta: Setenta semanas estavam "determinadas", ou dadas, para os judeus. As setenta semanas proféticas são iguais a 490 anos literal (70 x 7 = 490). O povo de Deus logo iria retornar do cativeiro, na Medo-Pérsia, e Deus daria 490 anos dos 2.300 anos, para que Seu povo escolhido tivesse mais uma oportunidade de se arrepender e servi-Lo.

8. Que evento e a data marcam o inicio da profecias dos  2.300 dias e dos 490 anos determinados sobre o povo judeu (Daniel 9:25)?

Resposta: O evento que marca o inico da profecia, foi um decreto do rei persa Artaxerxes, autorizando o povo judeu que eram cativos na Medo-Pérsia, a retornarem para Jerusalém e reconstruir a cidade. O decreto, encontrado no livro de Esdras, capítulo 7, foi emitido em 457 aC, no sétimo ano do rei (v. 7) e foi implementado no Outono. Artaxerxes começou o seu reinado em 464 Ac.

9. O anjo disse a Daniel que 69 semanas proféticas, ou 483 anos literais (69 x 7 = 483), o Messias viria (Daniel 9:25). Isso aconteceu?

Resposta:Sim, é verdade! Cálculos matemáticos mostram que os 483 profeticos, a partir do decreto em 457 aC, se completa no ano 27 dC. A palavra "Messias" significa "ungido" (João 1:41, margem). Jesus foi ungido com o Espírito Santo (Atos 10:38), com o batismo (Lucas 3:21, 22). Sua unção ocorreu no 15 ano do reinado de Tibério César (Lucas 3:1), que foi AD 27. Essa previsão foi feita 500 anos antes!

Então Jesus começou a pregar que "o tempo está cumprido" (referindo-se aos 483 anos que determinavam a vinda do Messias). Ele, assim, de forma audível confirmou a profecia (Marcos 1:14, 15; Gálatas 4:4). Então Jesus, realmente começou Seu ministério, referindo-se claramente a profecia 2300 dias, destacando a sua importância e precisão. Isto é incrível e emocionante prova de que:

A. A Bíblia é inspirada.

B. Jesus é o Messias.

C. Todas as outras datas na profecia dos 2.300 dias e dos 490 anos são válidas. Isso nos dá uma base sólida sobre a qual construir.

10. após consideramos os 483 anos da profecia de 490 anos os judeus, verificamos que ainda resta uma semana profética, ou sete anos literal (Daniel 9:26, 27). O que acontece durante essa semana e no final dela?

Resposta: Jesus é "cortado" ou crucificados "no meio da semana", que é de três anos e meio depois de Sua unção, ou na primavera de 31 dC. Por favor, observe como a profecia revela o evangelho no versículo 26: "Depois das sessenta e duas semanas, o Messias será cortado, mas não para si mesmo.”

Graças a Deus, que quando Jesus foi cortado, não era para si mesmo. Ele "que não cometeu pecado" (1 Pedro 2:22) foi crucificado por nossos pecados (1 Coríntios 15:3, Isaías 53:5). Jesus ofereceu sua vida com amor e boa vontade para nos salvar do pecado. Aleluia, porque Ele é o Salvador! O sacrifício expiatório de Jesus é o coração das revelações profeticas de Daniel capítulos 8 e 9.

11. Uma vez que Jesus morreu depois de três e meio anos, como Ele poderia "confirmar a aliança com muitos" para completar o final da ultima semana profetica, como manda a profecia de Daniel 9:27?

Resposta: O pacto é o Seu contrato abençoado para salvar as pessoas dos seus pecados (Hebreus 10:16, 17). Após o fim de seu ministério de três anos e meio, Jesus confirmou o concerto através de Seus discípulos (Hebreus 2:3). Enviou-os primeiro para a nação judaica (Mateus 10:5, 6), porque o Seu povo escolhido ainda tinha três anos e meio de oportunidadepara se arrependerem antes do final dos 490 anos.

12. Quando terminou o período de 490 anos, no outono de 34 dC, de oportunidade de arrependimento para a nação judaica, o que os discípulos fizeram?

Resposta: Eles começaram a pregar o evangelho a outras pessoas e nações do mundo (Atos 13:46). Estevão, um diácono justo, foi publicamente apedrejado em 34 dC. A partir dessa data, os judeus já não eram mais o povo escolhido de Deus, porque eles rejeitaram a Jesus e o plano de salvação. Em vez disso, Deus conta agora com pessoas de todas as nacionalidades que aceitam  servi-Lo, como judeus espirituais. Eles se tornaram Seu povo escolhido "herdeiros segundo a promessa." Judeus espirituais,  é claro, incluem o povo judeu que individualmente aceitar servir a Jesus (Gálatas 3:27-29, Romanos 2:28, 29).

13. Depois de 34 dC, quanto tempo resta da profecia 2.300 anos? Qual é a data final para o termino da profecia? O que o anjo diz que aconteceria naquela data (Daniel 8:14)?

Resposta: Houve 1.810 anos restantes (2.300 - 490 = 1810). A data final para a profecia é 1844 (AD 34 + 1810 = 1844). O anjo disse que o santuário celestial seria purificado, ou o julgamento celeste começaria. (O santuário terrestre foi destruído em 70 dC.) Aprendemos no Guia de Estudo 17 que o dia celestial de expiação, ou julgamento, foi a data inicial do tempo do fim. Agora sabemos que a data de início é 1844. Deus estabeleceu esta data. É tão certo quanto a data de aD 27 para Jesus aparecer como o Messias. No Tempo do Fim, o povo de Deus deve anunciar que chegou o seu juizo (Apocalipse 14:6, 7). Nos dias de Noé, Deus declarou que o diluvio ocorreria em 120 anos (Gênesis 6:3)  e isso aconteceu. Nos dias de Daniel, Deus afirmou que o julgamento final aconteceria no final dos 2300 anos (Daniel 8:14) e isso aconteceu. O julgamento de Deus no tempo do fim está em sessão desde 1844.

14. Por que alguns intérpretes da Bíblia tiram a última semana (ou sete anos) dos 490 anos atribuído à nação judaica e aplica essa semana ao anticristo Anticristo e sua obra no final da história do mundo?

Resposta: O ano 27 dC (ano do batismo de Jesus) era a data de partida para os últimos sete anos da profecia, o que Jesus enfatizou no início de seu ministério ao pregar: "O tempo está cumprido". Marcos 1:15. No momento da Sua morte na cruz, na primavera de 31 dC, Jesus clamou: "Está consumado". O Salvador aqui refere-se claramente as previsões da Sua morte feitas em Daniel, capítulo 9, tais como:

1. "Messias" seria "cortado" ou crucificado (versículo 26).

2. Ele iria "fazer com que o sacrifício e a oferta cessassem", morrendo por todos como o verdadeiro Cordeiro de Deus (versículo 27, 1 Coríntios 5:7; 15:3).

3. Ele iria "expiar a iniqüidade" (v. 24).

Não há autoridade bíblica ou evidência para retirar a última semana, ou sete anos, dos 490 anos atribuído à nação judaica e aplicá-lo ao trabalho do Anticristo perto do fim da história do mundo. Mais sério ainda, é que tiranto os últimos sete anos da profecia dos 490 anos, isso distorce o verdadeiro significado de muitas profecias nos livros de Daniel e Apocalipse que as pessoas não conseguirão entender corretamente elas. Tais interpretações sempre levam as pessoas ao erro. Está mudança no periodo de 490 anos destrói completamente o significado de Daniel capítulos 8 e 9 e a profecia mais importante da Bíblia para o tempo do fim.

15. Você aceita a Jesus como o Messias, enviado para morrer em seu lugar e redimi-lo do pecado, tornando você uma nova pessoa?