“Para aqueles interessados em saber como o Cristianismo veio a observar o domingo como dia de adoração, em lugar do sábado, basta baixar o  livro "Do Sábado Para o Domingo"  clicando na imagem acima. Esta é um impressionante trabalho feito por um erudito Adventista do Sétimo Dia — complementando sua dissertação doutoral com um imprimatur — que certamente ficará como marco milenar por muito tempo.

 

“O sábado foi feito por causa do homem”. (Marcos 2:27,28)
É certo que temos que desfrutar da comunhão com Deus todos os dias, e todos os dias são abençoados, mas somente um dentre os sete dias da semana foi separado e santificado.
O sábado é o dia do Senhor, o dia em que nós em família separamos para Deus somente.

  • O sábado é um memorial da criação – o Criador, após ver o mundo maravilhoso que tinha feito, descansou.

  • É um memorial da salvação – o Salvador após sofrer e morrer em nosso lugar, descansou no sábado.

Ele disse: “Eu vos dei o exemplo, para que como vos fiz, façais vós também.” João 13:15.

Para o nosso descanso físico temos o sábado.Êxo.20:8-11.
Para o nosso descanso espiritual temos Jesus. Mat.11:28.
Para o nosso descanso eterno teremos a Nova Terra. Apoc 21 e 22.

Deus não muda. (Malaquias 3:6 e Tiago 1:17)

Quando Se propõe a realizar uma coisa, ELE A REALIZA, a despeito dos fracassos humanos. O convite e a promessa divinos não deixam de estar em vigor, e uma vez que o então chamado “povo de Deus” (Israel) não entrou no Seu “descanso”, logicamente “RESTA UM REPOUSO PARA O POVO DE DEUS” (Heb. 4:9), e este povo são os cristãos.

A conclusão do autor da carta aos Hebreus é a de que os cristãos podem entrar nesse “repouso”, porque podem “chegar confiantemente ao trono da graça” (Heb. 4:16) onde Cristo ministra como “o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão” (Heb. 3:1).

Eles acharão Alguém que se compadece deles e lhes dá socorro em tempo oportuno. Fazendo isso, entrarão como um povo, no “descanso de Deus”, tornam-se Sua propriedade particular, povo escolhido, nação eleita, sacerdócio real.

 

Leia mais sobre esse assunto clicando nas figuras abaixo